Aratu Iate Clube promove Taça Aleixo Belov de Snipe

Nos dias 3 e 4 de junho o Aratu Iate Clube vai promover a 12ª Taça Aleixo Belov. O evento é aberto para a classe Snipe e tem seis regatas programadas, sendo até quatro no sábado e até quatro no domingo. A inscrição custa R$ 50,00 por dupla e pode ser feita na secretaria do clube. Para mais informações, acesse o AR.
P
or Mari Peccicacco de https://noticiasnauticas.wordpress.com/

 

Estadual do ES!

Falei com o Rodrigo sobre o Estadual do ES e ai vão algumas infos sobre o campeonato que foi nos dias 29 e 30 de Abril:

1. Onde foi o estadual e como estavam as condições de vento e mar?
O estadual do ES foi na raia de Camburi, onde ocorreram as regatas do sul-americano de 2016. Foram 6 regatas em dois dias de vento sul entre 12 e 16 nós nos dias 29 e 30/4.
Em vista de vários membros da flotilha estarem viajando por conta do feriado, só 6 barcos, dos dezenove ativos da flotilha atualmente, participaram.

2. Você foi no Brasileiro na Ilhabela certo, qual a diferença entre as raias?
A raia de Camburi difere da raia de Ilha Bela, onde corremos no brasileiro, em especial pela falta de uma corrente que influencie o resultado da regata. Em Vitória é quase nula enquanto na Ilha influenciou bastante.
A onda não é tão diferente.

3. Qual a expectativa para a Taça Cidade de Vitória que vai ocorrer em setembro?
A expectativa de nossa flotilha é grande em torno da Taça Cidade de Vitória deste ano. Esperamos relançar no cenário nacional essa regata que já foi tão importante e está na 63ª edição. Incentivados pelo patrono Lemão durante o brasileiro na Ilha, amigos da vela de vários Estados manifestaram interesse em participar do campeonato este ano.
Se bem conheço a raia, deve ter vento (rs).

4. O Brasileiro de 2018 é em Porto Alegre, vocês já estão treinando?
Ainda não começamos os treinamentos para o brasileiro. Pretendemos começar no segundo semestre correndo o leste-brasileiro, o estadual do Rio e uma regata em Salvador.

Termina o 1º Sudeste Brasileiro de Snipe.

Já a algum tempo que pensávamos em um campeonato de grande porte para São Paulo. Tínhamos somente o nosso paulista ao qual nos habituamos nestes 4 anos a realizá-lo entre outubro e novembro.  Faltava um campeonato de peso no primeiro semestre.
A classe cresceu, tomou volume, treinamos pra valer nas regatas da Copa Vela, hoje Copa Paulista, e então chegou o momento da decisão. Em janeiro deste ano os capitães de flotilha de São Paulo conseguiram instituir o 1º Campeonato Sudeste Brasileiro de Snipe. Agradecemos e parabenizamos os capitães Rafael Gagliotti, Leo Prioli, Caio Prado, Roberto Fontes e Beto Jesus, que também é Secretário de Esportes da Ilha, pelo empenho.
O Sudeste era necessário já que o Sul Brasileiro que era o campeonato regional sediado por São Paulo acabou ficando para os estados sul. E nossa primeira edição foi um sucesso!
Foram ao todo 35 barcos e 70 velejadores que disputaram as 6 regatas do campeonato.
O pessoal da Ilhabela subiu em peso e o Rene e o Sidão ganharam o campeonato! Parabéns caras!
Tivemos a honra de ter a presença da velejadora Bibi Juetz, Campeã Mundial de Snipe Masters em 1998. Nosso troféu leva o nome dela e foi erguido com muita honra e carinho pelo Rene.
Muito nos honra também a presença nas raias do Lemão e do Mario Eugênio, sem os quais a nossa classe não seria a mesma.
Temos que agradecer também ao Beto Hackerott, diretor de vela do Yacth Clube Paulista,  a toda equipe do YCP e aos juízes pois todos juntos realizaram um excelente campeonato.
Finalmente gostaria de informá-los que na reunião de capitães que fizemos depois das regatas de domingo tivemos duas propostas para o Sudeste do próximo ano. O YCSA e a EVI apresentaram suas intenção e por 3 votos a 1 a Escola de Vela da Ilhabela foi escolhida para sediar o 2º Campeonato Sudeste Brasileiro de 2018.
Aos campeões Rene e Sidão mais uma vez parabéns!
Um grande abraço a todos e bons ventos!!

Alonso López
Coordenador da Classe Snipe São Paulo.

Sumula final:
https://drive.google.com/file/d/0B4c99wqIq2PqNVNSRjN5MnpMV2c/view?usp=sharing
Fotos: Douglas Moreira, Fisheye Image

Taça Octanorm reúne 47 Snipes no Rio de Janeiro

Texto: Mariana Peccicacco

O Iate Clube do Rio de Janeiro promoveu neste feriado prolongado a 22ª edição da Taça Octanorm da classe Snipe. 47 barcos estiveram presentes no evento que é um dos mais tradicionais da classe. Depois de cinco regatas, os campeões foram Mario Tinoco e Alexandre Muto, seguidos por Mateus Tavares e Gustavao Carvalho em segundo e Juliana Duque e Rafael Martins em terceiro.

O primeiro dia começou com Recon em terra esperando o vento mudar de direção, porém, como não mudou a CR resolveu mandar todos para a água assim mesmo. Apenas uma regata foi disputada, com vento fraco vindo de Nordeste.

O segundo dia foi disputado já com a chuva trazida pela frente fria que entrou na madrugada e com a raia montada na Escola Naval. A maré muito forte fez com que poucos barcos conseguissem cruzar a linha de chegada e completar a única regata do dia.

O domingo começou com total pressão sobre a CR, que precisava fazer mais uma regata para validar o campeonato. A intenção era mandar os velejadores para a água às 12h, mas o vento não permitiu e os velejadores ficaram em terra até o vento entrar. Quando entrou, era um Sudoeste em torno de 15 nós com chuva, permitindo a realização da primeira regata. Para a segunda o vento diminui para uns oito a 10 nós e para a última regata o vento praticamente zerou e com a maré muito forte parecia que não daria para terminar a regata. Mas o vento acabou entrando de Leste e a regata terminou loucamente com os barcos cruzando a linha de través.

Súmula:
https://noticiasnauticas.files.wordpress.com/2017/04/sumula-xxii-tac3a7a-octanorm-2017_oficial02-1.pdf